O diagnóstico que levou mais de 2 mil pessoas a praticar atividade física


 

Eu ui diagnosticado com diabetes mellitus tipo 1 (DM1) aos 18 anos, estava em vias de prestar vestibular para Relações Internacionais e não sabia absolutamente nada sobre a condição.

Com o tempo, fui me apropriando e aprendendo que o “meu” tipo era autoimune, diferentemente do tipo 2, que é multifatorial. As aplicações de insulina tornaram-se parte da minha rotina, assim como a corrida, uma paixão que descobri mais ou menos na mesma época. Hoje já somo mais de 15 corridas, incluindo maratonas.

Mas assim como o esporte me fez sentir melhor, percebi que eu precisava fazer algo também por outras pessoas com diabetes, principalmente àquelas que não tinham acesso a informação, acolhimento e educação em diabetes.

Foi então que, nasceu em 2017 o Correndo pelo Diabetes (CPD),que já impactou mais de 2 mil pessoas e tem como objetivo social estimular a prática regular de atividade física como ferramenta de promoção da saúde e inclusão da pessoa com diabetes e dos seus familiares. O CPD já percorreu mais de 10 cidades no Brasil e exterior e contabiliza 25 eventos presenciais, entre corridas e distribuição de cestas básicas durante a pandemia.

 

Mudar o panorama do diabetes e de outras doenças crônicas no Brasil, promovendo – por meio da atividade física – a inclusão social de pacientes e de seus familiares e fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS) é um dos grandes objetivos do CPD. Um dos caminhos é acabar com o estigma do diabetes e difundir a educação sobre esta condição e esse tem sido um trabalho feito pelo CPD.

O que fazemos?

O programa oferece acompanhamento individualizado de profissionais de educação em diabetes, videoaulas de yoga, treinamento de fortalecimento muscular, planilhas de corrida/caminhada, além de encontros virtuais de troca de informações e conhecimentos sobre temas relevantes. Ambiente seguro e acolhimento para cuidar da saúde física e emocional também fazem parte do CPD.

Entre as metas para os próximos anos, estão expandir as operações do CPD para todo o Brasil, trabalhar junto ao SUS para fortalecer a inclusão e educação em diabetes na Atenção Primária à Saúde e realizar parcerias estratégica, como com a Beyond Type 1 para levar o CPD para o maior número de pessoas possível, principalmente aqueles em países emergentes.

WRITTEN BY Bruno Helman, POSTED 03/22/21, UPDATED 03/22/21

fundador e CEO do Correndo pelo Diabetes